Archive for outubro \23\UTC 2010

De repente, tudo muda.

Mudou, muda e mudará! Espírito-corpo-emoção, unidos na simplicidade de uma manhã com orvalhos cheirosos na grama verde.

Um trecho:

O corpo gosta de sentir-se confortável, de sentir prazer, gosta do contato, da interação dos corpos, sentir os cheiros, os sabores. Sem ansiedade, sem pressão, sem angústia. Somente a entrega, o deixar-se sentir, o ser.

Nuno Cobra

Uma música:

Raquel

Um pouco de Beatles

Meu amor pelos Beatles foi crescendo devagarzinho, desde pequena os escuto, e confesso que há apenas 5, 6 anos parei e vi que aquilo não era música qualquer. Era o tipo de música que falava lá no fundo, que refletia muito das minhas dúvidas, alegrias, desejos e amor. As canções dos Fab Four falavam pra alma, e decidi naquele momento, que suas músicas faziam parte de mim. Posso não ser uma fã da mais descabeladas, não saber todas as canções de cor, esquecer o nome daquele disco, mas garanto, pra mim mesma, que eu os amo, e suas músicas me preencheram e preenchem meus vazios e contradições, complementam minhas alegrias e me instigam suspiros de amor (mesmo que esse amor não tenha, ainda, chegado).

Agora, encontrarei de pertinho um Bealte (se tudo der certo, dedos cruzados!). Paul McCartney, o Sir. Paul,  cantará suas músicas pra mim. Com uma alegria sem tamanho, e cheia de energias positivas deixo a música que fez com que eu repensasse e enxergasse o que é Beatles de fato.

Blackbird

 

 

Raquel